quarta-feira, 30 de setembro de 2009

CRIACIONISMO X EVOLUCIONISMO



Na primeira aula de história do cursinho que frequento (Pré-Vestibular do Povo), o professor de História, Alex, fez questão de chamar Darwin de louco e quem acredita em suas teorias também. Eu o questionei: “Porque ele é louco? E porque quem acredita nele é louco?” E ele respondeu: “Ah, como pode duvidar e procurar uma explicação para a criação da vida. Deus criou tudo, inclusive o homem. Está escrito em Gêneses”. Eu parei, pensei e revidei: “Como você pode chamar um cara de louco só porque ele acredita na evolução das espécies (que o ser humano evoluiu de um chimpanzé) e aceita veemente que o homem foi formados a partir do barro e, posteriormente, da costela do homem foi formado a mulher. É incrível que podemos ser loucos por aceitar que passamos por um processo de evolução (e ainda estamos evoluindo) e não somos loucos por aceitar que somos formados a partir do “pó” num “estalo de vida”, só porque está escrito em um livro (feito por homens) no qual alguns buscam, através dele, a “salvação”.”
Vocês podem até estar questionando o porque desta postagem. Escrevi ela para convidá-los para uma Palestra (Criacionismo X Evolucionismo: Isto ainda é um debate relevante?), a ser realizado nesta quinta-feira 01 de outubro de 2009, no Pavilhão de Aulas, Sala 1B2, às 14:00hs, na UFRB, em Cruz das Almas.
Agora vou disponibilizar algumas informações sobre Criacionismo e o Evolucionismo.

O que é Criacionismo
Criacionismo é um termo que incorpora todas as crenças de que as origens do universo e da vida são atribuíveis ao sobrenatural e a meios milagrosos.
No Cristianismo, o Criacionismo diz que Deus (a divindade cristã) criou o mundo e tudo o que há nele, a partir do nada. Os criacionistas acreditam que a explicação do início do mundo dada no Gênesis, o primeiro volume do Velho Testamento, é a verdadeira explicação das origens de tudo o que vemos em nosso redor. A abertura de Gênesis diz:

No princípio, Deus criou os céus e a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas. Disse Deus: haja luz; e houve luz.

A criação do Universo e tudo o que há nele levou seis dias. No primeiro dia, Deus criou a luz e a escuridão. No segundo, Ele criou os céus e no terceiro, a terra seca e a vegetação. Deus criou o Sol e a Lua no quarto dia; peixes e pássaros no quinto dia e os animais terrestres e os seres humanos, no sexto dia.
A explicação da criação no Gênesis é a base para todo o criacionismo cristão, ao passo que há, na verdade, muitos tipos diferentes de criacionistas dentro do Cristianismo. Um criacionista da terra plana, por exemplo, acredita não somente que Deus criou o mundo a partir do nada, mas também que a Terra é plana, imóvel e tem somente cerca de 6 mil anos. Um criacionista moderno, por sua vez, aceita as visões da astronomia moderna e os métodos de datar geologicamente que determinam que a Terra tem bilhões de anos, mas não aceita as descobertas da biologia moderna: ele acredita que as espécies só podem evoluir com a permissão de Deus.


Teoria evolucionista
A teoria evolucionista é fruto de um conjunto de pesquisas, ainda em desenvolvimento, iniciadas pelo legado deixado pelo cientista inglês Charles Robert Darwin. Em suas pesquisas, ocorridas no século XIX, Darwin procurou estabelecer um estudo comparativo entre espécies aparentadas que viviam em diferentes regiões. Além disso, ele percebeu a existência de semelhanças entre os animais vivos e em extinção.
A partir daí ele concluiu que as características biológicas dos seres vivos passam por um processo dinâmico onde fatores de ordem natural seriam responsáveis por modificar os organismos vivos. Ao mesmo tempo, ele levantou a idéia de que os organismos vivos estão em constante concorrência e, a partir dela, somente os seres melhores preparados às condições ambientais impostas poderiam sobreviver.
Contando com tais premissas, ele afirmou que o homem e o macaco teriam uma mesma ascendência a partir da qual as duas espécies se desenvolveram. Contudo, isso não quer dizer, conforme muitos afirmam, que Darwin supôs que o homem é um descendente do macaco. Em sua obra, A Origem das Espécies, ele sugere que o homem e o macaco, devido suas semelhanças biológicas, teriam um mesmo ascendente em comum.
A partir da afirmação de Charles Darwin, vários membros da comunidade científica, ao longo dos anos, se lançaram ao desafio de reconstituir todas as espécies que antecederam o homem contemporâneo. Entre as diferentes espécies catalogadas, a escala evolutiva do homem se inicia nos Hominídeos, com mais de quatro milhões de anos.
O Homo habilis (2,4 – 1,5 milhões de anos) e o Homo erectus (1,8 – 300 mil anos) compõem a fase intermediária da evolução humana. Por fim, o Homo sapiens neanderthalensis, com cerca de 230 a 30 mil anos de existência, antecede ao Homo sapiens, surgido há aproximadamente 120 mil anos, que corresponde ao homem com suas características atuais.

UM EMPATE TÉCNICO
Assim, para se livrar da derrota, só caberá ao Evolucionismo contestar filosoficamente a validade de cada uma das premissas milagrosas, e lançar perguntas chatas, como:
Se Deus é tão poderoso, não seria mais fácil arrebatar a família de Noé e os animais selecionados para um outro mundo e então "lavar" a Terra e depois trazê-los de volta?
Se Deus é todo poderoso porque simplesmente não fez desaparecer os homens maus da Terra sem todo aquele estardalhaço diluviano?
Ou melhor... Se Deus é Todo-Poderoso e Bom, porque existe o Mal?
E aí a discussão se envereda pela Teodicéia, e todas as implicações filosóficas embutidas, e não terá fim. Curiosamente, é a única forma do Confronto possuir alguma igualdade de condições. E assim, Evolucionistas e Criacionistas podem ficar discutindo longamente, e sem qualquer resultado prático até o fim dos tempos.

NÃO EXISTE CRIAÇÃO!
Nunca ninguém jamais viu algo surgir do nada, ou uma transformação tão radical quanto um organismo complexo como o humano surgir do barro. Isso não existe na natureza. Portanto a explicação religiosa criacionista é inaceitável no pensamento científico.
Tudo o que vemos na natureza é resultado de processos progressivos, estruturas muito simples podem parecer "surgir" rapidamente, mas estruturas complexas só surgem aos poucos, construídas passo a passo por processos lentos.
Lenta e progressivamente os seres vivos nascem e crescem, uma semente se torna uma imensa árvore e um aglomerado de células menores que a cabeça de um alfinete se tornam grandes animais.
Deve-se entender o termo EVOLUÇÃO antes de tudo como transformação, mudança progressiva, lenta e gradual. E sendo assim a Evolução está em TUDO que existe. Desde o mundo físico até os processos sociais. Nada acontece sem ser resultado de estágios progressivos. Nem mesmo idéias surgem do nada.
A noção de Evolução começou a tomar corpo no pensamento humano a partir do momento que se passou a observar com mais cuidado os seres vivos. O surgimento das ciências Biológicas é o próprio surgimento do Evolucionismo.

Fonte: http://www.blogger.com/www.evo.bio.br/EvoxCria.html

5 comentários:

  1. mais uma alma perdida!que Deus tenha misericordia.

    ResponderExcluir
  2. uahsuuheasuhaseuuaseheuashuhaeuheuheuhe

    ResponderExcluir
  3. Ah! A gostei muito da palestra. Vlw Hendor e Dinho por estarem presentes.

    Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. As pessoas se acham muito cultas, inteligentes e refutam a existência de Deus, mas a teoria da evolução é o que seu próprio nome diz: apenas teoria.
    Acredito ser muito mais racional acreditar na formação do mundo por um ser superior do que acreditar na teoria que do nada e da grande explosão tudo evoluiu para formar a variedade de seres da natureza. Daí surgem alguns questionamentos do tipo: por que ainda existem macacos? eles pararam de evoluir?
    Acreditar na teoria da evolução é a mesma coisa que ver um carro na rua e dizer: "nossa, aquele carro surgiu do nada". A comparação é absurda? quem já estou biologia sabe que o mais simples ser vivo é extremamente complexo; analise por exemplo um olho humano e perceba isso. Qual é mais complexo, a formação de um carro ou de um olho humano?
    A verdade é que por mais inteligente que as pessoas pareçam ser, elas estão fadadas ao fim, em no máximo 100, 120 anos para aquele que vivem além do normal. Daqui 100 anos nem eu nem o autor desse blog existiremos e aí quando pararmos de respirar descubriremos quem tinha razão.

    ResponderExcluir